Fazer uma viagem para Disney é o sonho de muitas pessoas, inclusive de vários adultos. Mas para aproveitar ao máximo o que o complexo de diversões mais conhecido do mundo oferece, é sempre importante se planejar corretamente.

Para lhe ajudar, separamos algumas dicas fundamentais para transformar esse sonho em realidade, sem dor de cabeça ou frustração. Confira!

Planejamento é fundamental

Muitas pessoas pensam que o planejamento envolve apenas separar os dias para a viagem, comprar as passagens e embarcar rumo a Orlando. Na verdade, não é bem assim.

A Disney possui muitas programações bacanas como café da manhã com o Mickey, assistir à queima de fogos de um navio pirata ou ainda fazer uma refeição no castelo da Cinderela. Porém, a maioria tem vaga limitada e muitos se esgotam rapidamente. Se você não souber o que quer visitar e nem quando, pode acabar perdendo ótimas atrações.

Além do parque, a cidade também possui muitas atrações que valem a sua visita. Então não se esqueça de incluí-las no seu roteiro. Você pode, por exemplo, visitar os centros de compra, assistir uma partida de basquete da NBA, visitar os centros de entretenimento como CityWalk e Disney Springs, entre muitos outros.

Pense no tempo que você tem disponível

Além da Disney, como você pode notar, Orlando possui muitas atrações bem bacanas – e para aproveitar tudo isso é fundamental ter tempo disponível. O ideal é entre 10 a 14 dias.

Mas mesmo quem não tem tudo isso de folga disponível, pode planejar bem a sua viagem. Montando um roteiro de forma antecipada é possível visitar as principais atrações dos parques, sem deixar nada de fora.

Você ainda pode mesclar a sua programação com aquelas atividades que não demandem um dia todo, como shows, jogos de basquete ou Orlando Eye.

Defina os parques que deseja visitar

Pense no perfil da sua família ou das pessoas que vão viajar com você e assim defina os parques que são mais interessantes. As possibilidades são imensas, como: Magic Kindom, Epcot, Hollywood Studios, Animal Kingdom, Sea World, Universal Studios, Island of Adventures, Legoland e Busch Gardens.

Depois de definir o que desejam visitar, é hora de montar o roteiro, separando qual dia será destinado a qual parque (e depois incluindo as atividades extras fora do parque que vocês também desejam fazer).

Aproveite e analise as atrações dos parques e os horários. Isso é importante para reservar o FastPass, ou seja, um sistema que ajuda você a reservar o seu horário na fila, evitando perder tempo esperando pela atração.

Mas, atenção, porque existe uma quantidade limitada de FastPass para cada atração, assim no caso de atrações muito concorridas ou alta temporada, os FastPass costumam acabar rapidinho – e por isso o planejamento antecipado é tão importante.

Considere as características da época do ano

A data em que você pretende viajar também define um pouco a forma como você poderá aproveitá-la. Geralmente nos meses de abril, maio, setembro e outubro, o clima em Orlando é mais agradável e pode ser mais fácil aproveitar as atrações.

Nos feriados e em épocas de férias, a movimentação no parque é bem maior, mas, em compensação, é possível pegar algumas decorações, shows e até atrações diferenciadas. Nessa época, usar o FastPass é ainda mais imprescindível para conseguir visitar tudo o que você deseja.

Na baixa temporada, além de menor movimento, ainda é possível conseguir descontos, tanto para as atrações, como para as outras despesas da viagem, como hotel e voo.

Planeje a hospedagem

Se você já está pesquisando, deve ter notado que os preços dos hotéis em Orlando variam bastante, isso significa que é possível encontrar hospedagens caríssimas e outras bem em conta.

Apesar das várias opções, tente encontrar aquelas que fiquem mais próximas dos locais que você deseja visitar. Isso fará com que você perca menos tempo no deslocamento (e consiga aproveitar melhor os parques).

Geralmente, esses hotéis ficam na International Drive, na Disney ou na Universal. A principal vantagem da International Drive é que ela possui uma ampla rede e com preços mais em conta que as duas outras opções.

Já os hotéis da Disney e da Universal possuem benefícios exclusivos, como transporte gratuito para os parques, além da magia e do glamour. Em contrapartida, os valores costumam ser mais altos.

Pense em alugar um carro

Existem muitas maneiras de se locomover em Orlando, mas alugar um carro pode tornar mais fácil o seu deslocamento, afinal os parques, shoppings, outlets e os principais pontos turísticos da cidade são mais afastados – e nem sempre será fácil chegar até eles. Além disso, você ainda poderá planejar uma “esticadinha” até Miami.

Mas, para economizar, o ideal é planejar o aluguel também antecipadamente. Ao contrário do que muitos podem imaginar, não é preciso ter uma carteira de motorista internacional. Na verdade, você apenas terá que apresentar a sua habilitação (aqui do Brasil mesmo), o seu passaporte e o cartão de crédito.

A dica é sempre fazer um seguro básico, que cobre o carro alugado de batidas e furtos, evitando prejuízos. Normalmente, quando alugamos o veículo aqui do Brasil, esse seguro já está incluído e ao chegar em Orlando pode ser que os vendedores queiram que você contrate um seguro adicional. Na maioria das vezes ele é bem caro e cobre riscos pouco prováveis, por isso não vale muito à pena.

Lembre-se do dinheiro

Na hora de fazer o planejamento da sua viagem para Disney é muito importante pensar em quanto dinheiro você deverá levar e como fará isso. Normalmente, levar dólares em espécie é mais econômico, porque não será cobrado 6% de IOF do cartão de crédito.

Mas, é claro que, em termos de segurança, não é recomendável levar toda a quantia necessária em espécie. Assim, pense em quanto levar dessa forma e considere outras alternativas como cartão pré-pago internacional (que permite carregar com uma quantidade de créditos, economizando nas taxas).

Embora o cartão de crédito tradicional seja a maneira mais cara de comprar, é importante levá-lo para casos de emergência.

Se você não tem ideia de quanto levar, considere uma média de 170 dólares por pessoa por dia para alimentação, compras e ingressos.

Não se esqueça do seguro viagem

Para entrar nos Estados Unidos não é obrigatório apresentar o seguro viagem, mas ele é muito recomendado, afinal é um investimento que compensa bastante.

Além de você não ter que se preocupar com possíveis problemas que podem acontecer na viagem, ainda tem a certeza de que, se algo acontecer em termos de saúde, você não terá de desembolsar um valor alto para ter acesso a tratamento.

Lembrando que nos Estados Unidos consultas e hospitais costumam ser bem caros e, infelizmente, não podemos prever quando algo assim vai acontecer. O seguro também cobre contra outros danos como extravio de bagagem ou furto de mala.

Com essas dicas, ficou mais fácil organizar e planejar a sua viagem para Disney? Se você ainda tem alguma dúvida, é só deixar um comentário. E, claro, não esqueça de se organizar para fazer lindas fotos!

Guia de Fotografia de Viagem _

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.

cinco × um =