Não importa se você é fotógrafo de casamento, de esportes, de fotojornalismo, de newborn e entre outras várias opções. Para conseguir ter um empreendimento de sucesso no ramo da fotografia é indispensável pensar em um plano de negócios.

É ele que mostrará a viabilidade da sua ideia, as dicas para a sua gestão financeira e até as formas de alcançar um crescimento sustentável, impedindo que você apenas coloque dinheiro na empresa, sem ter retorno.

Quer saber mais sobre o plano de negócios para fotógrafos? Então continue a leitura!

Mas, afinal, o que é um plano de negócios?

Antes de qualquer coisa é primordial que você entenda ao que se refere o plano de negócios (e lembre-se de tirá-lo do papel, afinal é na prática que ele ajudará a desenvolver a sua empresa).

Um plano de negócios, basicamente, descreve o que a sua empresa é ou pretende ser, com informações vitais que vão mostrar se a sua ideia é viável, em quanto tempo você começará a ter retorno, quais os principais concorrentes e outros pontos indispensáveis para uma gestão adequada.

Mesmo quem já tem um negócio em fotografia pode se aproveitar dos benefícios do plano de negócios para fotógrafos, entendendo a realidade atual da sua empresa e pensando em maneiras de crescer, sem que isso comprometa sua qualidade ou o seu bolso.

É com o plano de negócios que você consegue definir estratégias e ações para atingir os seus objetivos, tornando mais fácil o processo de empreender (e também mais seguro).

Passo a passo para montar um plano de negócios para fotógrafos

Agora que você já entendeu o que é um plano de negócios e qual a sua importância, que tal começar a montar o seu? Veja algumas dicas essenciais que separamos.

Pense em quem é o seu público-alvo

Antes de pensar o que você vai vender e quais são os diferenciais do serviço que você presta, é preciso focar no seu público-alvo, entendendo quem são essas pessoas e o que elas querem.

Assim, ficará mais fácil prestar um serviço que realmente vá ao encontro dessas necessidades, evitando investir em áreas que não têm tanta procura.

Coloque no papel todas as informações que conseguir reunir sobre essas pessoas e se possível converse com elas e tente entender o que elas querem e quais os diferenciais são mais valorizados (preço, qualidade, atenção, cuidado, serviços extras como fotolivros, etc.).

Defina a sua oferta de valor

Agora que você já tem bem claro quem é o seu público-alvo e o que essas pessoas esperam de um serviço de fotografia, pense em como você pode ir ao encontro dessas necessidades – e quais os diferenciais do seu negócio.

Por exemplo, se o seu público valoriza itens como técnicas modernas de fotografia, atenção do fotógrafo e a possibilidade de comprar junto das fotos um fotolivro, você precisará entender qual é a sua capacidade em oferecer esses itens – e como o que você pode oferecer é visto como um diferencial importante a essas pessoas.

É essencial que o valor que o seu serviço entrega consiga resolver um problema real do seu cliente, tornando a sua marca mais valorizada e diferenciada na mente dessas pessoas.

Missão, visão e valores

Depois dos passos anteriores, você já será capaz de definir a missão, a visão e os valores do seu negócio.

A missão é o papel da empresa para a sociedade, ou seja, o que o seu negócio pode trazer de benefício ou de diferente para as pessoas, ao menos para os seus clientes.

A visão é os “sonhos” da empresa, ou seja, onde você deseja chegar daqui a alguns anos, ou ainda como pretende ser reconhecida no seu nicho.

E os valores são tudo o que a empresa acredita, o que é importante para ela como marca. Pense que o seu negócio é uma pessoa, quais as características e qualidades ela teria? Essa é a parte dos valores.

Tudo isso ajuda a entender quem é o seu negócio, como ele atua, quais são os seus princípios éticos e diferenciais e também onde ele deseja chegar, dando um norte para as suas ações.

Aquisição de clientes

Como os seus clientes chegam até você? Essa é uma pergunta extremamente importante e definirá, por exemplo, quais estratégias de marketing você deverá investir.

Existem inúmeras formas de aquisição de clientes, como indicação de outros clientes, parcerias com lojas de fotografia ou empresas de eventos, pela internet, pelas mídias tradicionais, por feiras e eventos do segmento em que você atua, entre outros.

Tente definir quais são mais interessantes para você, sempre focando no seu público-alvo. Se você fotografa crianças e recém-nascidos, as parcerias com empresas que organizam casamento, por exemplo, podem não fazer sentido algum e apenas fazer você perder tempo e dinheiro.

Análise da concorrência

Nenhuma empresa existe sem concorrência – e ficar de olho nela é fundamental. Isso significa saber quem são seus principais concorrentes diretos (outros fotógrafos) e indiretos (aquilo que faz com que os seus clientes gastem o dinheiro que poderiam usar para investir nas suas fotografias, como viagens, roupas, vídeos, etc.).

Além de definir quem são os concorrentes, tente entender há quanto tempo eles estão no mercado, quais serviços oferecem, quais são seus diferenciais, como são vistos pelos clientes, entre outros dados essenciais.

Isso lhe ajudará a entender melhor o seu mercado e também a pensar em maneiras de se diferenciar, inclusive encontrando nichos que podem ser um gancho interessante para você prestar serviços que têm uma menor concorrência.

Plano de Marketing

Entendendo quem são seus clientes e como eles chegam até você, é possível pensar em quais ações promocionais são mais interessantes e em qual mídia investir para divulgar o seu negócio.

Além disso, pense também na composição do preço, levando em consideração os seus custos fixos e variáveis, a sua margem de lucro, o que é praticado pelo mercado e o quanto o seu público está disposto a pagar por serviços semelhantes ao seu.

Plano financeiro e contábil

Por último, tente entender o quanto de capital você precisará para começar o seu negócio e para mantê-lo.

Neste ponto você deverá fazer um levantamento:

  • estimativa dos investimentos fixos, como câmeras, lentes, tripés, flashs, computadores, móveis para o estúdio, etc.;
  • custos fixos e variáveis;
  • capital de giro, que é o recurso financeiro responsável por manter a sua empresa funcionando, ou seja, aquilo que você receberá do cliente para realizar o serviço;
  • investimento pré-operacional referente ao que você deverá investir antes do seu negócio começar a funcionar;
  • margem de lucro, que deverá ser incluída sobre o valor de cada serviço e usada para reinvestir no próprio negócio;
  • pró-labore, que é o valor do seu “salário” e não deve ser confundido com o lucro.

Fazer um cronograma com o levantamento de todos os custos mês a mês ajuda você a entender melhor as variações financeiras do seu negócio, estipulando os meses de alta e de baixa e pensando em ações como promoções específicas para os períodos sem tantos clientes.

Além de tudo isso, lembre-se de considerar as questões fiscais, como a emissão de notas e a regularização da sua empresa, evitando multas e sanções com o Fisco.

E, então, depois de ler essas dicas, ficou mais fácil montar o seu plano de negócios para fotógrafos? Curta as nossas redes sociais (Facebook e Instagram) e receba sempre outras dicas bacanas como estas.

_

    2 respostas para "Como montar um plano de negócios para fotógrafos?"

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.

treze − 2 =